RIO- A crise que se abate sobre o mercado editorial brasileiro será encarada pela 17ª ediç&ati..."/>

MINISTÉRIO DA CULTURA, PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO AND SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA PRESENT

COME AND EXPERIENCE
MANY STORIES.

news

Marcada para setembro, Bienal do Rio se prepara para enfrentar e discutir a crise

29/06/2015 em via O Globo

Compartilhe:




RIO- A crise que se abate sobre o mercado editorial brasileiro será encarada pela 17ª edição da Bienal Internacional do Livro de maneira direta. Rodrigo Lacerda, recentemente anunciado como o curador do Café Literário, avisa que o tema vai ser discutido durante a programação do espaço de debates mais nobre do evento. Já Marcos Pereira, presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), informa que a situação impôs pequenas mudanças à feira, realizada de 3 a 13 de setembro no Riocentro:

— A Bienal sofre um pouco, afinal a crise é geral no país. Vamos nos adaptar, mas não acredito que o público sentirá a diferença. No entanto, é importante discutir o assunto. Precisamos entender por que estamos nessa situação e temos que refletir para encontrar caminhos.

Os organizadores da Bienal afirmam que a área do evento passou de 55.000m² para 80.000m². Agora, os jardins da praça central do Riocentro estarão acessíveis para os visitantes, e, por isso, a área de alimentação externa vai crescer. A mudança, no entanto, não atinge o pavilhão dos estandes de venda, que terá praticamente o mesmo tamanho da edição anterior. A feira deve contar com mais de cem convidados brasileiros e estrangeiros.

Parceria com a Flupp

Vencedor de dois prêmios Jabuti, Lacerda fará sua estreia como curador. O autor de “A república das abelhas” (Companhia das Letras), que já havia participado da Bienal como leitor, escritor convidado e mediador, substitui Ítalo Moriconi.

Ele concorda com Pereira e explica que a intenção da programação, que só deve ser anunciada em agosto, é conectar o evento a temas da atualidade. Além dos rumos do mercado editorial, os 450 anos do Rio e as Olimpíadas de 2016, por exemplo, serão englobados pela discussão do Café Literário.

— É claro que temos que celebrar o livro e os 450 anos da cidade, mas a Bienal pode ser uma ferramenta de discussão sobre assuntos importantes para o Rio e o Brasil. A crise é um assunto importante. Acho que uma dose de reflexão não faz mal a ninguém — diz Lacerda.

Curador de primeira viagem, ele explica que não teme as críticas tão comuns à função:

— Sou novato, quero encarar um problema de cada vez. Primeiro tenho que montar a programação. Depois, espero ouvir elogios e avaliar as críticas.

A Bienal aposta também em uma parceria firmada com a Flupp, a Festa Literária das Periferias. Nos três primeiros dias da feira, haverá o SarALL, onde diferentes saraus das comunidades cariocas dividirão espaço com representantes de grupos semelhantes de norte a sul do país: de Roraima, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Ecio Sales, idealizador do projeto ao lado de Julio Ludemir, adianta a participação de nomes como Alessandro Buzo e Sérgio Vaz, organizador da Cooperifa. Ele explica que o microfone estará aberto à audiência e afirma que a parceria com a Bienal é fundamental. Contudo, admite que também foi afetado pela temida crise:

— A ideia &eacut



Use the #EUAMOLER and #BIENALRIO hashtags and share your love for reading.

SPONSOR
entre letras sponsorship
LITERARY CAFÉ OFFICIAL PAPER
OFFICIAL SECURITY
e-commerce
CULTURAL SUPPORT
SUPPORT
digital area support
OFICIAL TRANSPORTATION
media partner
UNIVERSITY SUPPORT
REALIZATION
AGENTS & BUSINESS CENTER
ORGANIZED AND PROMOTED BY
INFORMATION, QUESTIONS AND
CUSTOMER SERVICE:

+55 21 2441-9348
Working hours: 13:00 to 19:00
contato@bienaldolivro.com.br
PRESS:
Approach Comunicação Integrada
21 3461-4616 - Ramal 133
Adriane Constante
bienal@approach.com.br
ADDRESS
Rua Salvador Allende 6.555
Barra da Tijuca · RJ
22783-127 · Brazil