nome

Notícias

nome Voltar

Edição de 2019 terá novidades como pavilhão infantil, espaço para pequenas editoras e homenagem à cultura japonesa

A 19ª edição da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro ocorrerá entre 30 de agosto e 8 de setembro, no centro de exposições do Riocentro, Zona Oeste da cidade. A feira, que tem a missão de “incentivar o hábito da leitura para mudar o país”, terá novidades na edição de 2019.

A Bienal do Livro é uma tradicional feira literária que ocorre em várias cidades e promove exposições, sessões de autógrafo, palestras, oficinas e debates sobre temas pertinentes nos campos da literatura, arte, política e sociedade.

O objetivo é fazer uma integração entre o público, autores e editoras, fomentando a leitura, o intercâmbio de ideias e o mercado editorial no país. Além, é claro, de presentear leitores de diferentes gostos com livros a preços acessíveis e encontros com seus autores preferidos.

Quais são as novidades que a Bienal do Livro do Rio apresentará esse ano?
Uma das primeiras novidades será notada já na entrada do evento. Tradicionalmente feita pela lateral do Riocentro, que já dava acesso direto à exposição, entrada esse ano será pelo espaço do Pavilhão das Artes, cuja exposição permanente indoor de arte de rua é a maior da América Latina.

A planta do evento sofreu mudanças e foi remodelada a fim de alocar cada perfil de público em ambientes diferentes e, assim, facilitar a interação das editoras com seu público-alvo.

“A Bienal é um sucesso, um momento mágico de interação entre os visitantes, as editoras e os autores. E, para mantermos esse encantamento, estamos sempre investindo em inovação, atentos às novidades e transformações tanto do mercado, quanto da sociedade. Em 2019, o objetivo é oferecer várias bienais dentro de uma, com espaços bem definidos para cada perfil de público”, afirmou Marcos da Veiga Pereira, presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), que organiza o evento.

Segundo a diretora da Bienal, Tatiana Zaccaro, o objetivo maior é priorizar a experiência do público. Por isso, os jardins, lagos e outros ambientes externos do Riocentro serão melhores aproveitados. “Vamos trabalhar com categorias muito bem segmentadas, seguindo a lógica de criar uma bienal para cada um. Para as crianças, por exemplo, teremos o pavilhão infantil”, disse Zaccaro.

Pavilhão infantil é uma das novidades
O pavilhão infantil é um dos destaques apresentados pelos organizadores: com mais de 10 mil m², o espaço reunirá autores e editoras do segmento e terá atrações e atividades lúdicas para as crianças e as famílias. Além disso, a área contará com berçário e praça de alimentação voltada especialmente aos pequenos.

Com o sucesso na edição de 2017, os espaços Arena Jovem e Café Mantido serão mantidos. Na última edição o ambiente voltado aos jovens mais que quadruplicou em relação à edição anterior. Já o Café Literário registrou um aumento nas visitas de 25% e agradou o público com a variedade de temas que debatidos em palestras e rodas de conversa.

O tradicional Fórum da Educação será ampliado para garantir uma maior integração entre educadores, professores e editoras desse segmento, além de promover um intercâmbio de ideia e capacitação para os profissionais da área.

Outra novidade será um novo espaço dedicado às pequenas editoras e uma área cultural voltada à filosofia e aos negócios, promovendo esse segmento editorial que vem crescendo em público e autores no Brasil.

 

Homenagem ao Japão
Segundo a coluna de Marina Caruso no jornal O Globo, o Japão será homenageado pela Bienal do Livro de 2019, com exposições de mangás e games, além de uma programação voltada a outros elementos da cultura nipônica.

O evento conta com um aporte financeiro do Governo Federal, por meio da Lei Rouanet, que incentiva empresas a apoiarem produções culturais via incentivo fiscal. Já foram captados cerca de R$ 3 milhões e, segundo o jornal Correio da Manhã, os organizadores já têm autorização para captar mais de R$ 5 milhões.

Além do Rio, Maceió (AL), Fortaleza (CE), Contagem (MG), Recife e Garanhuns (PE) receberão Bienais Internacionais do Livro em 2019.

 

Edição de 2017 foi sucesso de público
A edição anterior da Bienal Internacional do Rio, em 2017, que contou com a presença de autores como Mauricio de Sousa, Mario Sérgio Cortella, Paula Hawkins e Silviano Santiago, foi um sucesso de público.

Com 360 horas de programação cultural e 190 sessões de autógrafos, a edição teve o público recorde de 640 mil visitantes, superando a expectativa inicial de 600 mil. Uma pesquisa realizada ao final do evento mostrou que 93% das pessoas presentes se disseram satisfeitas e voltariam na edição seguinte.

 

Fonte: Zoom

Apresenta
Patrocinador Master
Patrocínio E-commerce
Patrocínio Segurança Oficial
Patrocínio Praça Leitura
Patrocínio Cultural
Patrocínio
Apoio
Apoio Cultural
Patrocínio Tecnologia Oficial
Realização