Releases

nome Voltar

Bienal do Livro Rio registra recorde de venda de livros

Mais de 4 milhões de livros – dos 5,5 milhões de exemplares disponíveis – foram vendidos durante a XIX edição da Bienal do Livro Rio, um aumento de 11% em relação à última edição, em 2017, quando foram vendidos 3,6 milhões de livros em 11 dias. Cada visitante, em média, levou para casa pelo menos seis livros. Entre os hábitos e costumes de leitura, de acordo com pesquisa realizada com os frequentadores, os romances ainda despertam mais interesse entre os leitores, seguidos de gêneros de fantasia, mistério, horror e ficção científica. Livros para jovens e adolescentes, HQs e mangás representam, juntos, 40,7% do interesse dos entrevistados.

As editoras comemoraram os resultados. Algumas delas registraram mais de 70% de aumento no volume de vendas. A HarperCollins, por exemplo, ultrapassou as vendas da Bienal Internacional de São Paulo no quinto dia do evento carioca. A editora trouxe 18 autores para o festival, um deles internacional. A Ediouro, por sua vez, registrou crescimento de 45% no faturamento em relação ao ano de 2015, última vez que a empresa teve um espaço próprio no evento. Já a Companhia das Letras superou em 20% o faturamento da edição de 2017, ainda na tarde de sábado, dia 7 de setembro. As editoras Intrínseca e Leya também contabilizaram aumento de 18% antes mesmo do encerramento da Bienal deste ano.

Já a Sextante celebrou a aproximação dos seus autores com os leitores. Esse ano, a editora trouxe dois autores estrangeiros e um número recorde de escritores nacionais. Entre os nomes que garantiram o topo do ranking dos títulos mais vendidos estão Thalita Rebouças, Bráulio Bessa, Fred Elboni, Augusto Cury e Nathalia Arcuri, fenômeno editorial em 2018 com o livro Me poupe!.

Em outro segmento, a de livros técnicos, a FGV editora fechou a Bienal com crescimento de 110% nas vendas na comparação com a edição anterior. Editoras voltadas para o público jovem também se destacaram. O Grupo Alto Astral, que compareceu com um time de 42 autores, teve crescimento de 77%, em comparação ao ano anterior. A Planeta chegou a 73% de aumento e a Valentina calcula um faturamento 50% maior, com vendas acima de 60% no número de exemplares.

“Credito isso ao efeito Bienal, ao ambiente de cultura, de discussões de qualidade e do conteúdo que entregamos ao público”, destacou Tatiana Zaccaro, diretora da Bienal do Livro Rio. “As curadorias dos espaços foram incessantes propondo os melhores temas, buscando os melhores autores e personagens. O espaço infantil foi um sucesso, o Café Literário teve todas as sessões praticamente lotadas e a Arena #SEMFILTRO causou um alvoroço, consolidando a Bienal como o maior programa cultural e o mais diverso do país”.

O maior festival de cultura do país reuniu 520 expositores e atingiu a expectativa de público, com 600 mil visitantes em dez dias de evento. Na edição anterior, em 2017, a Bienal recebeu 640 mil pessoas em 11 dias – além de um dia a mais, ainda contou com um feriado de 7 de setembro na sexta-feira, o que contribuiu para o recorde do público naquela edição. Do público deste ano, de acordo com o levantamento feito pela Bienal, cerca de 64,5% dos frequentadores já havia participado de outras edições do festival. A visitação escolar também bateu um recorde, com a presença de 112 mil estudantes, principalmente de escolas da rede pública – mais que o dobro da edição anterior. Para a próxima edição, em 2021, 88,7% dos entrevistados afirmaram que vão voltar ao Riocentro. A Bienal recebeu do público presente nota 9 pelo evento, maior do que a da edição anterior, que foi de 8,6.

Importante pilar do festival, a programação cultural e de conteúdo também recebeu nota 9, numa escala de zero a dez. Café Literário, Encontro com Autores e Arena #SEMFILTRO tiveram suas sessões muitas vezes esgotadas, ao longo desses dez dias. Com o propósito de incentivar a leitura para mudar o Brasil, a Bienal do Livro reuniu os maiores nomes da literatura nacional e internacional, atores, músicos, youtubers, especialistas em educação, jornalistas e muitos outros. Ao lado de autores consagrados – como Luís Fernando Veríssimo, Laurentino Gomes e Thalita Rebouças – estavam escritores como Otávio Júnior, conhecido como “Livreiro do Alemão”, que trabalha para disseminar o gosto pela leitura em comunidades do Rio.

Este ano, os convidados discutiram temas como felicidade, democracia e autoritarismo, meio ambiente, fé, empoderamento, fake News, escravidão, ciências e diversidade. Pela primeira vez, as sessões da programação oficial tiveram tradução em libras e deficientes visuais também puderam explorar a Bienal a partir de visitas guiadas. O conhecimento produzido durante estes dez dias estará preservado: as centenas de horas de debate foram gravadas e estarão disponíveis para a população no canal da Bienal no YouTube ou no site www.bienaldolivro.com.

 

Abaixo, informações enviadas pelas editoras.

GRUPO EDITORIAL RECORD

Crescimento de 5%. Mais vendidos:

“O Diário de Anne Frank”

“Wow! O primeiro contato” (Ed. Verus), de Pablo Zorzi

“A corrente”, de Adrian McKinty

“O corpo encantado das ruas” (Ed. Civilização Brasileira), Luiz Simas

Nova edição do clássico “Pedagogia” da autonomia” (Ed. Paz & Terra), de Paulo Freire.

 

LEYA

Crescimento de 18%. Mais vendidos:

“A princesa salva a si mesma neste livro”, Amanda Lovelace

“A bruxa não vai para a fogueira neste livro”, Amanda Lovelace

“D. Pedro II – A história não contada”, Paulo Rezzutti

 

HARPECOLLINS BRASIL

Crescimento de 250%. Mais vendidos:

“O Hobbit”, J.R.R. Tolkien

“O Pequeno Príncipe”, Antoine de Saint-Exupéry

“Sherlock Holmes” box, por Arthur Conan Doyle

“Fique comigo”, Ayobami Adebayo

“De frente com o serial killer”, John Douglas e Mark Olshaker

 

EDITORA BAMBOLÊ

Mais vendidos:

“Construa este diário: para pequenos inventores”, de Tuani Sorroche
“Delta: um comando para o tempo”, de Ana Cristina Melo
“A grande aventura da fada de narizinho torto”, de Alina Perlman

“A bota do Guto”, de Ana Cristina Melo

“Luna Moon e a guerra entre os reinos”, de Nina Kivrochein

GRUPO AUTÊNTICA

Mais vendidos:

“Anne de Green Gables”, de L. M. Montgomery (tradução Márcia Soares Guimarães)

“K-Pop – Além da Sobrevivência”, de Babi Dewet, Érica Imenes e Sol Paik

“Chapeuzinho Amarelo”, de Chico Buarque e ilustrações de Ziraldo

“Turma da Mônica Jovem – Um Convite Inesperado”, de Babi Dewet, Carol Christo, Melina Souza e Pam Gonçalves, com ilustrações de Mauricio de Sousa

“Novas capas da série Fazendo meu Filme”, de Paula Pimenta

 

EDIOURO PUBLICAÇÕES

Crescimento de 45% em faturamento em relação ao ano de 2015 – última vez que a empresa teve um espaço próprio no evento.  Mais vendidos:

“Luccas Neto – Os Aventureiros”, de Luccas Neto

“O mundo segundo Felipe Neto”, de Felipe Neto

“O animado mundo Kids Fun”, de Rafaella Baltar e Luiz Phellipe

“Brincando com Luccas Neto”, de Luccas Netto

“Vem comigo!”, de Juliana Baltar

 

GRUPO ALTO ASTRAL

Crescimento de 77%. Mais vendidos:

“Luarices”, de Luara Fonseca

“Enaldinho, a lenda do zap “, de Enaldinho

“Por todas nós”, de Ellora Haonne

“A barraca do beijo”, de Beth Reekles

“K-pop now”, de Mark James

 

EDITORA PLANETA

Crescimento de 73%. Mais vendidos:

“Felicidade”, de Cortella, Karnal e Pondé

“Cães e gatos”, de Carlos Ruas

“O que o sol faz com as flores”, de Rupi Kaur

“Aprenda a viver o agora”, de Monja Coen

“Outros jeitos de usar a boca”, de Rupi Kaur

EDITORA VALENTINA

Crescimento de 50% do faturamento e 60% no número de exemplares. Mais vendidos:

“Agir e pensar como um gato”, de Stéphane Garnier

“Destinos Quebrados”, de Sofia Silva

Títulos da coleção “Para quem tem pressa”

“Máscaras”, FML Pepper

“Acordei apaixonado por você”, de Tammy Luciano

 

COMPANHIA DAS LETRAS

Na tarde de sábado, a Companhia das Letras já havia superado o faturamento da Bienal de 2017 em mais de 20%. Mais vendidos:

“A revolução dos bichos”, de George Orwell

“Quem tem medo do feminismo negro”, de Djamila Ribeiro

“Conectadas”, de Clara Alves

“1984”, de George Orwell

“Céu sem estrelas”, de Iris Figueiredo

 

PANINI

Crescimento de 9,98%. Mais vendidos:

Livro ilustrado Fortinite

Box Graphic MSP Trilogia- Laços, Lembranças e Lições

Livro Ilustrado Turma da Mônica Laços

ASHE

Clássicos do Cinema Cascão Porker

 

3DEA EDITORA

“O Barão do Café”, de Jas Silva

“Por Você Cobain James”, de Nana Simons

“Meu Lírio do Campo”, de Luana Lazzaris

“Haniel”, de Katherine Laccom´t

“Segredo Obscuro”, de Ju Marquesi

 

EDITORA INTRÍNSECA

Faturamento cresceu 18% no comparativo com 2017, com a expectativa de batermos hoje mais de 45 mil exemplares vendidos.  Livros LGBT+: numa comparação do somatório de vendas do dia 30/08 até dia 06/09 com as vendas em 07/09, o crescimento varia de 100% a 600%. Os livros: Com amor, Simon, Leah fora de sintonia, E se fosse a gente, Boy erased (esgotou no estande) e Me chame pelo seu nome.

Mais vendidos:

1 – Stranger Things

2 – A sutil arte de ligar o f*dá-se, de Mark Manson

3 – F*deu geral, de Mark Manson

4 – O homem de giz, de C. J. Tudor

5 – Quem é você, Alasca?, de John Green

Outros Releases

10/09/2019

Bienal do Livro Rio registra recorde de venda de livros

Apresenta
Patrocinador Master
Patrocínio E-commerce
Patrocínio Café Literário
Patrocínio Segurança Oficial
Patrocínio Praça Leitura
Patrocínio Cultural
Apoio
Apoio Cultural
Patrocínio
Patrocínio Tecnologia Oficial
Parceiro de Mídia
Realização